Chefe de comissão renúncia antes das novas eleições no Malawi

Chefe de comissão renúncia antes das novas eleições no Malawi


A chefe da Comissão Eleitoral do Malauí (MEC), Jane Ansah, deixou o cargo em apenas um mês antes de o país realizar uma repetição das eleições presidenciais ordenadas pelo tribunal. O país africano deve realizar novas pesquisas depois que o Tribunal Constitucional anulou os resultados das controversas eleições do ano passado, que deram ao presidente Peter Mutharika um segundo mandato.

Ansah desde então tem sido alvo de protestos em todo o país, pedindo que ela repasse o tratamento das eleições disputadas. "Eu escrevi a autoridade que nomeia [o presidente] que decidi renunciar", disse ela à emissora estatal em entrevista.

Os principais ativistas de direitos humanos estavam planejando uma nova onda de protestos na próxima semana para forçar Ansah a renunciar. Ansah negou que estivesse cedendo à pressão. "Lutei uma boa luta e fico feliz", disse ela, "trabalhei com mãos limpas e não tenho esqueletos no armário".

A renúncia de Ansah ocorre exatamente um ano após as últimas eleições que foram anuladas pelo tribunal superior devido a irregularidades generalizadas e uso de fluidos de correção. O tribunal ordenou que uma nova eleição fosse realizada dentro de 150 dias da sua decisão de 3 de fevereiro.

A comissão eleitoral havia estabelecido inicialmente o dia 2 de julho, que era o dia 149 desde a decisão, mas desde então adiou a data para 23 de junho. O defensor de direitos humanos Gift Trapence saudou a renúncia de Ansah.

"Isso é o que os malauianos estão querendo o tempo todo", disse Trapence à agência de notícias AFP. "Mas também queremos que todos os comissários sigam para que um novo MEC possa ser constituído para permitir que o país realize eleições livres e credíveis".
Fonte: Al Jazeera